Falha: 5 motivos para você continuar falhando.

Posted on Posted in Motivação

Quando foi a última vez que você fez algo, e colocou todo o seu empenho, mesmo sabendo que você iria falhar? Se a resposta é “nunca”, agora é a hora de tentar novamente.

Você já ouviu falar de Florence Foster Jenkins? Jenkins foi uma figura da sociedade rica nos anos 1930 e 1940, e possivelmente a pior cantora da história. Apesar de sua completa incapacidade de cantar, Jenkins se apresentou regularmente por mais de 40 anos, principalmente em apresentações privadas e, finalmente, nos últimos meses de sua vida, no Carnegie Hall.

Todas as suas apresentações, incluindo a última, foram dadas na frente de multidões: Ela era tão ruim, e tão extravagante em suas performances e seus trajes, que ela sem querer criou teatro cômico de valor inestimável.

Jenkins é lindamente retratada em uma performance indicada ao Oscar por Meryl Streep em um filme fantástico e surpreendentemente preciso, até o canto ruim.

Há evidências de que ela estava ciente de quão mal ela cantava. Por exemplo, ela era muito cuidadosa em permitir apenas que pessoas que ela conhecia apoiassem seus shows. Ainda assim, quando ela cantou, ela deu tudo. Ela não cantava, não agia de forma tímida ou auto-consciente, e usava trajes luxuosos de seu próprio design. Jenkins dedicou sua vida inteira à sua música mal cantada e ela não fez as coisas pela metade.

Não estou sugerindo que você deva construir sua carreira em torno de algo que você é visivelmente ruim, todos nós podemos nos beneficiar ao fazer regularmente coisas que somos terríveis. Aqui está o porquê:

1. Você aprende muito mais.

 

Usaremos como exemplo o esporte, qualquer um. Nenhum atleta profissional hoje nasceu já sabendo executar as jogadas. No início todos eram ruins, desajeitados, sem coordenação, etc.

Qual foi o principal aprendizado durante anos de treino? Você aprende muito mais errando várias e várias vezes. Para chegar onde eles chegaram eles erraram muito, tomaram inúmeras puxadas de orelha. Mas continuaram treinando, aperfeiçoando todos os movimentos necessários para executar corretamente a jogada.

Alguns aprenderam tanto com os seus próprios erros e continuaram treinando que criaram novas jogadas.

2. Ele força você a sair da sua zona de conforto.

Poucas coisas na vida se encaixam tão certo quanto fazer algo que você sabe que você se destaca. Poucas coisas te tiram da sua zona de conforto, fazendo algo que você sabe que não pode fazer bem. Aprender a se arriscar fora das suas zonas de conforto é uma habilidade fundamental para todas as formas de sucesso, e quanto mais você fizer, mais fácil se torna.

3. Faz você superar o medo de constrangimento.

Frequentemente na vida, deixamos o medo nos segurar, e a maioria do tempo nós não estamos receosos do dano real, nós estamos receosos de nos fazer de tolos. Esse medo de parecer tolo é uma das coisas mais debilitantes que aprendemos quando crianças, e a maioria de nós carrega esse medo ao longo de nossas vidas.

Se você fizer algo que você é ruim, você vai parecer tolo – não tem como evitar. É um bom sentimento para se acostumar. Basta imaginar as coisas que você poderia realizar se o medo de parecer tolo não estivesse te segurando.

4. Faz de você um líder melhor.

A maioria das pessoas se tornam líderes nas coisas que fazem muito bem. Isso pode tornar extremamente difícil de empatia com os funcionários que lutam com tarefas que parecem simples para você. Realizar algo que você é ruim pode lhe dar uma visão dessa luta, e uma ideia melhor de como ajudar os funcionários a melhorar seu desempenho quando eles não têm as habilidades, treinamento ou talento natural para fazer bem algo.

5. Te ensina como falhar.

Há muita conversa sobre os benefícios da falha e o que todos nós podemos aprender com a falha. Mas você pode ser melhor em falha em algo diferente do seu trabalho principal. Enfrentar algo que você é ruim e que não é essencial para o seu trabalho é uma ótima maneira de praticar a falha sem danificar a sua carreira.

“As pessoas podem dizer que eu não posso cantar, mas ninguém pode dizer que eu não cantei”, Jenkins certa vez comentou. Não seria ótimo se eles pudessem dizer isso sobre todos nós?

(Visited 53 times, 1 visits today)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.